sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Às vezes, gostava de andar com a minha action cam na lapela vinte e quatro horas por dia. Se assim fosse, conseguiria explicar o quão boa foi a sobremesa de ontem, vendo esvoaçar as bandeiras junto ao rio, a conversar com a minha mulher, quanto uma menina, a rondar os três anitos, decidiu vir agarrar-se ao varandim à nossa frente e cantar uma música lamechas que não eu não conseguiria recompor, mas que acalentou o espírito num dia muito complicado.