segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O Bublé nunca cantaria uma música escrita por mim, mesmo que fosse mais perfeita que as que ele canta, já que seria inspirada em ti, em nós, mas, tendo de escolher uma entre todas, uma que caracterize várias das coisas que te quero dizer, teria de ser esta.

Nunca tinha entendido o lado não metafórico do “Quando estou contigo perco noção de tudo aquilo que me rodeia” até estar contigo. Achei sempre que era uma forma poética de dizer que só a outra pessoa interessa, nunca achei que fosse possível esquecer verdadeiramente o mundo: É e acontece-me todos os dias.

Pensei que não te merecia, mas já não penso. Mereço-te, tal como me mereces. Conheço-te como nunca conheci ninguém e pessoa alguma me conhece como tu me conheces. Não és a metade da minha laranja, pois não somos metade de coisa alguma. És o primeiro vidro e eu sou o segundo da nossa janela dupla que nos protege do exterior.

Como respondi ao homem da batina, não te amo, mas também te amo. Não se caracteriza o que sinto por ti, contigo, como o simples amor (sim, simples), mas também existe pois existe tudo, do mais simples carinho ao mais complexo grau teórico-prático de sentimento que nutrimos um pelo outro e ao qual ainda não deram sentido e\ou nome, ao qual gosto de chamar o teu nome, pois um síndrome tem sempre o nome de quem o descobriu ou de quem primeiro o sentiu\fez sentir. Não concebo “isto” sem ti, fora de ti, ou longe de ti.

Ainda bem que és minha e eu sou teu (e sim, há quem seja de alguém, sendo esse alguém seu). 

Ad astra et ultra





Tínhamos conversado acerca dos limites no blogue. Sei que achaste que não estava a ser uma conversa séria (algumas partes não foram, mas prometo não colocar aqui filmes!), mas tenciono cumprir esses limites. Não vou transformar o blogue num diário da nossa relação, embora pudesse muito bem ser um “Família Tuga Blogue”, ou um “ babies blog”…a considerar. 

3 palmadinhas no ombro:

Lia disse...

Juro: um homem apaixonado é do mais fofinho que existe *.*

(e de TANTAS músicas dele que eu simplesmente adoro, esta também tem um grande significado aqui deste lado)

CM disse...

Quando estiver a perder a fé no Amor (ou em qualquer coisa desse género), venho aqui ler isto :) Bonito, pá! Parabéns.

Manuel disse...

Lia, sou muito fofinho, sou sou. lol

CM, obrigado. Não percas a fé, "ele" anda aí!